19 de mar de 2009

Cinque Terre


Era uma vez um lugar chamado Cinque Terre. Cinco vilas, ou comunas, na região da Ligúria, noroeste da Itália, na Riviera di Levante, fundadas na Idade Média (do século 11 ao 13). Os piratas sarracenos, que invadiram o pedaço, já conheciam a fama de seu vinho adocicado. Os velhos terroirs das vinícolas, ainda em atividade, hoje também servem de cenário para trilhas nas montanhas (os sentieri). Cinque Terre esteve isolada do mundo dos turistas por muito tempo. Os vilarejos, sem relevância econômica, sobreviviam da pequena produção de vinicultura e, em menor medida, da pesca. Manarola, Vernazza, Corniglia, Monterosso e Riomaggiore mantiveram sua "autenticidade" graças à sua desimportância. Nos últimos 30 anos, passaram a ser visitadas por alguns poucos turistas interessados em hospedar-se num quarto de pensão e comer calamari na biboca local. Gente em busca do "real sabor" da Itália: pescadores, cozinha mediterrânea, mar cálido, barquinhos coloridos, casas caiadas, vinícolas, povo gesticulando na rua, oliveiras, limoeiros, velhinhos sentados num banco ao final da tarde, sob uma sombra providencial. Além de tudo, barato.
Manarola é uma das Cinque Terre, incluídas num Parque Nacional situado entre imponentes montanhas e o Mar Mediterrâneo, que farão as delícias de qualquer amante da Natureza.
Vernazza é a única cidadezinha das Cinque Terre que tem um porto de verdade. Pouco mais de mil habitantes, que vivem nesse pequeno paraíso protegido (como todos os outros 4) pela Unesco, junto com o centro histórico de Nápoles, Siena, Roma e Veneza. Duas horas de trilhas suspensos entre o mar e a montanha ou chegar de barco, para purificar o espírito e preparar-se para um gostoso almoço em um dos restaurantes como a Trattoria do Sandro, “La Torre” ou a Trattoria Gianni.
Corniglia está em posição central em relação às outras localidades de Cinque Terre. Se diferencia das outras localidades de Cinque Terre pois é a única que não está diretamente em frente ao mar, mas se encontra sobre um promontório de cerca de cem metros de altura, circundado de vinhedos plantados sobre característicos terraços no lado voltado para o mar. Para chegar a Corniglia é necessário subir una longa escada chamada Lardarina, constituída de 33 rampas com 377 degraus ou percorrer a estrada que a liga à estação ferroviária.
Monterosso é a maior aldeia turística das Cinque Terre, na Ligúria, norte de Itália. É tipicamente pequena, cheia de pedras e guarda-sóis alugados, ainda assim agradável. A parte italiana do mar Mediterrâneo é bastante quente em Junho e tem uma temperatura perfeita entre Julho e Setembro.
Riomaggiore impressiona logo na chegada pelo colorido das fachadas e pelas ruas estreitas, os "carrugi " , corredores íngremes de escadarias de pedra que sobem entre as casas. Algumas ficam tão próximas umas das outras que parece ser possível cumprimentar o vizinho da frente estendendo a mão pela janela.
Há quase 10 séculos, os habitantes da região quebraram as rochas, ergueram os terrações com pedações grandes e usaram os menores, misturados a folhas de pinheiro e mato, para fertilizar a terra. Nesses andares talhados nas montanhas de Cinque Terre são cultivadas as uvas que produzem os tradicionais vinhos brancos da região (Cinque Terre ou Sciacchetrà).

Nenhum comentário: