19 de mar de 2009

Milão


O centro de tudo é o Duomo, decorado em detalhadíssimo rendilhado de mármore que reveste toda a sua estrutura, construído no século 14 como Catedral de Milão, é tido como a terceira maior igreja cristã depois da Basílica de São Pedro, em Roma, e da Catedral de Sevilha. O estilo é gótico e neogótico, mas tem elementos neoclássicos e barrocos. Não há quem não se espante chegando em Milão com a beleza exuberante do Duomo. O objetivo era abrigar toda a população da cidade, àquela época em torno de 40.000 pessoas. Daí se chamar "Duomo" de Milão. É possível passar uma tarde em seu interior apreciando as obras de arte sem esgota-las. Lá se encontra a incrível estátua de São Bartolomeu, escultura de Marco D’Agrate, carregando a própria pele. Toda cidade tem sua lenda para o visitante voltar a ela. A de Milão fica exatamente na Galeria Vittorio Emanuele: dê uma volta completa em cima da pintura do boi, com um dos calcanhares nos testículos, no chão da galeria e faça um pedido para voltar a cidade. Assim como se jogam moedas na Fontana di Trevi, em Roma, com o mesmo objetivo. Milão não tem a história de Roma ou o charme da Toscana, mas é um fervilhante centro cultural onde não faltam belos programas, casas de shows, restaurantes estrelados e museus.

Nenhum comentário: