11 de nov de 2011

Palácio Barolo e Palácio Salvo


Palácio Barolo - Buenos Aires. AR (à esquerda) - O arquitecto italiano Mario Palanti construiu este palácio a pedido do empresário têxtil Luis Barolo. Entre 1923, data da inauguração, e 1935 foi o edifício mais alto da cidade, tendo sido destituído do primeiro lugar quando foi construído o Edifício Kavanagh. A sua altura é equiparável à de um vigésimo quarto piso. O edifício está cheio de analogias e referências à Divina Comédia, motivadas pela admiração que o seu criador professava por Alighieri. A divisão geral do Palacio Barolo segue a estrutura da Divina Comédia, motivo pelo qual o palácio tem três partes, da mesma forma que a obra de Dante: Inferno, Purgatório e Céu. Além disso, a divisão estrutural segue toda uma correspondência exacta e o Farol representa os "Nove Coros Angelicais. A estrutura tem 100 metros, o mesmo número de cantos que tem a Divina Comédia, e 22 pisos, igual número de estrofes dos versos desta obra. Em 1997, o Palacio Barolo foi declarado Monumento Histórico [1]. Actualmente, no edifício funcionam várias agências de turismo, uma escola de espanhol para estrangeiros, uma loja que vende roupa para tango, escritórios de contabilistas, advogados.

Palácio Salvo - Montevideo. UY( à direita) - O Palácio Salvo (em Espanhol: Palacio Salvo) é um edifício em Montevideu, Uruguai, desenhado pelo arquitecto italiano Mario Palanti, um imigrante Italiano que vivia em Buenos Aires, e inaugurado no ano de 1928. Com os seus 95 metros e 27 pisos, foi a torre mais alta da América do Sul por vários anos. Localiza-se na esquina da Avenida 18 de Julio com a Plaza Independencia. Eleva-se no mesmo sítio onde anteriormente se erguia a Confeitaria La Giralda, lugar onde Gerardo Matos Rodríguez apresentou o tango uruguaio mais famoso e difundido do mundo, La Cumparsita. Em Buenos Aires, o mesmo arquitecto construiu um edifício muito semelhante mas de menor altura,o Palácio Barolo.

Nenhum comentário: