17 de abr de 2009

Olaria - Valinhos -SP - Brasil



Localizado próximo a cidades de grande e médio portes, Valinhos revela oportunidades de negócios em função da base produtiva, e a situação privilegiada de sua localização permite forte comércio e serviços local. Essa localização privilegiada chamou a atenção de moradores da Região Metropolitana de Campinas (RMC) e até da capital paulista com o desejo de morarem em Valinhos. Isso gerou um movimento imobiliário recente onde muitas fazendas e sítios de figo roxo, goiaba, caju e vinhedos que antes estavam na zona rural, vêem sendo transformadas em condomínios fechados horizontais, principalmente. Como conseqüência, a área permeável natural na zona urbana legal de Valinhos vem diminuindo ano a ano, o que certamente trará impactos importantes em futuro próximo ao municípo e a seus munícipes em função das enchentes em seus córregos e ribeirões, já que as águas das chuvas chegarão mais rapidamente aos mesmos.

Usina santa Bárbara - Sta Bárbara D'Oeste - SP - Brasil




Santa Bárbara d'Oeste é um município brasileiro do estado de São Paulo, pertencente à Região Metropolitana de Campinas. Fundada em 4 de dezembro de 1818, a cidade é considerada como o berço da indústria automobilística no Brasil, uma vez que foi a responsável pela produção do primeiro automóvel nacional. A indústria do açúcar tomou grande impulso no final do século XIX, com o aumento na demanda desse produto. Nessa época foram instaladas grandes usinas açucareiras no município, dentre as quais destacam-se a Usina de Cillo e a Usina Santa Bárbara (atualmente desativadas). Por conseguinte, a partir da década de 1920 surgiram diversas indústrias de implementos agrícolas e indústrias têxteis. Com o passar dos anos, surgiram novas indústrias e, na década de 1950, foi produzido no município o primeiro automóvel brasileiro: o Romi-Isetta, lançado em 5 de setembro de 1956.

Caldas Novas - GO - Brasil




A cidade de Caldas Novas foi descoberta em 1722 por Bartolomeu Bueno da Silva (filho). Inicialmente pertencia a região de Santa Cruz, no sertão goiano, e que logo chamou a atenção de lavradores que identificaram nelas propriedades terapêuticas de alto valor. Martinho Coelho da Silva dirigiu um movimento de criação de um povoado para exploração das fontes, requerendo sesmaria. Em 1777, Martinho Coelho, enquanto caçava nas matas vizinhas, descobriu novas fontes às margens do Rio Pirapetinga, às quais deu o nome de Caldas de Pirapetinga, e outras às margens do Córrego Lavras, dando-lhes o nome de Caldas Novas. A descoberta das águas quentes aconteceu no final do século XVIII, mas a primeira “casa de banho” de Caldas Novas surgiu apenas em 1910. Ela foi construída pelo major Victor de Ozeda Ala para seus familiares e amigos, e funcionava onde hoje é o Balneário Municipal. As instalações eram de madeira e tinha apenas duas banheiras. O sucesso foi tanto que o número de convidados só aumentava. Dez anos mais tarde, em 1920, os herdeiros do major Victor e o médico Ciro Palmerston construíram em sociedade o primeiro balneário público, com duas banheiras esmaltadas e três cimentadas. Mas o primeiro grande empreendimento surgiu somente em 1964: a Estância Thermas do Rio Quente, que antes pertencia ao município de Caldas Novas.