31 de mai de 2009

Nova Tatajuba - Camocim - Ceará



Não dá para deixar de fazer o passeio à Nova Tatajuba, vilarejo de Camocim que teve de ser totalmente reconstruído após ser soterrado pelas dunas. Competindo com as atrações naturais, está a quase folclórica Delmira Silvestre das Chagas Silva, uma espécie de Maria Bonita da região, mais de 50 anos, que não deixa a história do povoado morrer. “Quando comecei a criar entendimento, as dunas já tinham começado a vir da praia para cá. Quando chegaram, as casas caíram com o peso da areia”, conta ela, que morava ao lado da igreja. A igreja foi a última construção a desaparecer no início dos anos 80. Delmira diz que as dunas levaram 15 anos para soterrar as 150 casas. A população construiu as novas casas bem proximo das anteriores mas do outro lado do rio porque as areis levadas pelos ventos nõ conseguriam atravessá-lo.

Duna por do sol - Jericoacoara - Ceará



A moldura - formada por dunas de 30 metros que mudam de cor ao longo do dia, jangadas e pequenas lagoas - não poderia ser mais perfeita. As águas, entretanto, são rasas, mas os ventos constantes fazem da praia da vila uma das mais procuradas pelos praticantes do windsurf. Aproveite o conforto das espreguiçadeiras dos bares ao redor para apreciar a paisagem.

Roupa rasgada - cães - Jericoacoara - Ceará



Estes câes corriam, brincalhões com sua dona, no caminho entre o mar e a duna Por-do-Sol em Jeriquaquara quando um deles tirou das mãos dela sua blusa de frio fazendo um brinquedo mais atrativo. Em pouco minutos não havia mais nenhum formato reconhecível.

Pedra Furada - Jericoacoara - Ceará



Um dos mais famosos cartões postais do Ceará fica na praia de Jericoacoara . É a Pedra Furada, um belo trabalho da ação dos ventos, do mar e do tempo. Em julho, os turistas que visitam a localidade observam o sol se pondo do outro lado do "furo", que a erosão esculpiu no meio da rocha.

A Pedra Furada pode ser visitada durante a maré baixa, passando pelas praias Malhada e do Pontal. São cerca de 3 km até o atrativo, que pode ser alcançado numa agradável caminhada. No percurso, os guias orientam os turistas a respeito de outras pedras famosas existentes no local, como a da Tartaruga e a do Jacaré. Não deixe de parar para um refrescante banho de mar.

Jardineira Redenção - Jericoacoara - Ceará



A vila de Jericoacoara está a 305 km de Fortaleza e tem um tramo sem asfalto antes de chegar de aproximadamente 23 Km., já que Jericoacoara pertence a um Parque Nacional e não possui via de acesso com asfalto, existem caminhos para carro 4x4.
A melhor opção é a rodovia CE-085, (Estruturante ou Caminho do Sol Poente). São cerca de seis horas da capital até o centro do município de Jijoca de Jericoacoara (onde termina o asfalto), distante 23 km da vila de Jeri. A partir dali, apenas veículos com tração nas quatro rodas, buguies ou jardineiras seguem até a vila, pelas dunas. Se desejar viajar de automóvel sem tração, tem ainda a possibilidade de deixá-lo num estacionamento em Jijoca. Para quem vi de mochila a melhor opção é a feita pela Cia de Transportes REDENÇÃO - com onibus de excelente qualidade até Jijoca e dali até Jeriquaquara em "jardineira" da própria companhia.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Fátima - Jericoacoara - Ceará



Até a década de 1960 os habitantes do vilarejo que iniciou a cidade assistiam às missas e novenas na capela de uma comunidade vizinha. Em 1963 os moradores deram inicio à construção da igreja da Santa Luzia, inaugurada no ano seguinte em 13 de dezembro, dia de Santa Luzia, padroeira do município. A data é comemorada todos os anos em grande festa que atrai milhares de visitantes. A Igreja de Jericoacoara, também conhecida por ‘Nossa Senhora do Rosário de Fátima’ ou ‘Igreja Nossa Senhora da Consolação’, a construção muito simples foi erguida com pedras do Serrote pelos próprios moradores. De sua torre tem-se vista panorâmica da praia da enseada.

Jericos - Jericoacoara - Ceará




O isolamento de Jeri garante águas limpíssimas e muito sossego. População local: 1200 nativos, 600 jegues e 400 estrangeiros, segundo o guia. Estrangeiro, pra eles, é qualquer um não-nascido em Jeri. Não dá para explicar exatamente em que reside o encanto de Jericoacoara, que faz com que inúmeros turistas decidam abandonar tudo para viver na antiga vila de pescadores. Fato é que esta parece ser uma epidemia por lá. Dizem por lá que todos os dias são iguais em Jeri, como é carinhosamente chamada. Injustiça. A duna da temporada passada já mudou de lugar, o riacho da semana anterior encontrou outro rumo. Mais justo seria dizer que todos os dias são embalados pelo mistério da vila de ruas de areia, que não tem postes de transmissão de energia e mantém longe qualquer estresse de cidade grande.

Dunas e lagoas - Jericoacoara - Ceará



A lagoa, que fica no município de Jijoca de Jericoacoara, é um dos points de Jeri, com areias finas e águas cristalinas em diversos tons de verde e azul. O espelho d´água é um só, mas ganha nomes diferentes em dois trechos. A Lagoa Azul, mais rústica, é o ponto de parada dos passeios de bugue. Tem barracas simples e trampolins de madeira.

Preguiçosa - Jericoacoara - Ceará



Muito interessante, entre o trecho do passeio de Jeriquaquara à Nova Tatajuba, foi a parada feita pelo amigo "bugueiro" Domingos para nos mostrar a "Preguiçosa". Uma espécie de árvore que teve de se dobrar para sobreviver à ação do vento. Ela está localizada na praia do Preá.

Dunas - Jericoacoara - Ceará



Para os mais místicos, Jericoacoara tem uma energia diferente dos demais locais. Preocupações devem ser deixadas de lado, dando importância apenas às paisagens, já que Jericoacoara foi considerada uma das dez praias mais lindas do mundo.

E não há quem duvide da beleza natural das dunas, das lagoas formadas entre elas, das esculturas como a Pedra Furada, ícone do local. À noite, o forró, o reggae e o tecno invadem as ruas da vila. Outra opção é curtir a noite sobre as dunas de Jeri ao som do vento e de um calmo violão.

Lagoas - Jericoacoara - Ceará



A melhores "praias" de Jeri têm água doce! E mais: são transparentes, têm tons de verde e de azul clarinhos, banham areias finas e brancas e atendem pelos nomes de Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso. A parte conhecida como Lagoa do Paraíso oferece infra-estrutura de bares e restaurantes com espreguiçadeiras e redes. O cenário geral é tomado por praticantes do kitesurf, além de jangadas de pescadores. A lagoa fica a cerca de 30 minutos de Jeri e é acessível por bugue ou jardineira.

Praia do Futuro - Fortaleza - Ceará



Para quem não conhece, a Praia do Futuro tem esse nome porque foi uma das últimas praias a serem ocupadas em Fortaleza. Fato utilizado numa das propagandas sobre os empreendimentos no lugar cujos dizeres “Venha morar na Praia do Futuro” fazia a divulgação. Depois disso, o nome acabou caindo na boca do povo e o resto é história, contada pelos guias locais.

A praia do Futuro ocupa oito dos 25 quilômetros da orla da capital. Limpa e bonita, abriga ao longo de seu calçadão diversas barracas que oferecem duchas de água doce, cadeiras de praia e delícias da gastronomia regional. Minha preferida é a Crocobeach pela beleza da construção, clima descontraído e gastronomia composto pelo bufê mais concorrido do lugar. Vira Verão prende a turma jovem e os esportistas, Itapariká estruturada para crianças...
Completam o cenário as areias claras, as ondas fortes e as dunas.

Ponte dos Ingleses - Fortaleza - Ceará



HISTÓRIA DA PONTE dos Ingleses (nova e velha)

A Ponte dos Ingleses foi erguida, em 1923, para ampliar a travessia iniciada na Ponte Metálica. Inclusive, o projeto, inacabado, previa a ligação entre as duas pontes. Inconclusa, a Ponte dos Ingleses se reconfigurou em um lugar de contemplação do pôr-do-sol, do mar e da cidade. Foi reformada em 1994, ganhando bancos, restaurante e lanchonete, loja de artesanato e o Centro de Observação dos Cetáceos. Banhistas afoitos e pescadores fiéis completam o cenário.

Ponte Metálica - Fortaleza - Ceará



HISTÓRIA DA PONTE dos Ingleses (nova e velha)

A Ponte Metálica original (que pode ser avistada da Ponte dos Ingleses) foi construída entre 1902 e 1906, para servir de desembarque a passageiros e cargas que chegavam d mar. A estrutura metálica lhe deu o apelido, até hoje. O lugar, iluminado por combustores a gás, também já foi conhecido como Viaduto Moreira da Rocha e Porto de Fortaleza.

A ponte foi desativada na década de 1940, com a inauguração do Porto do Mucuris. Os navios atracavam longe porque a praia é rasa. Na época, início do século XX, catraieiros buscavam os viajantes em pequenos botes.

Centro Cultural Dragão do Mar - Fortaleza - Ceará



Centro Cultural Dragão do Mar – Fortaleza - Ceará

Dragão do Mar é o nome pelo qual ficou conhecido o jangadeiro Francisco José do Nascimento, que em vida era também conhecido como Chico da Matilde.
Em 1881, Dragão do Mar, que havia sido nomeado para a importante função de Prático do Porto de Fortaleza, liderou um movimento de jangadeiros que se recusavam a fazer transportes de escravos. O movimento abolicionista foi forte no Ceará, a primeira provínica a abolir legalmente a escravidão.

Inaugurado em 7 de agosto de 1998, o Centro Cultural possui 30 mil metros quadrados de área para vivenciar a Arte e a Cultura Cearenses. Possui atrações como o Memorial da Cultura Cearense, o Museu de Arte, o Cine-Teatro, o anfiteatro, a Oficina de Arte e o Planetário.


O Theatro José de Alencar foi inaugurado oficialmente no dia 17 de junho de 1910, com a banda sinfônica do Batalhão de Segurança, regida pelos maestros Luigi Maria Smido e Henrique Jorge. No início do século, ao fazer o projeto arquitetônico do Theatro José de Alencar, o capitão Bernardo José de Mello imaginou um teatro - jardim. O jardim só foi construído anos depois da festa de inauguração, na reforma de 1974 a abril de 1975. Ele ocupa todo o espaço vizinho ao Theatro, pelo lado leste, onde havia antes um prédio que primeiro abrigou o Quartel de Cavalaria e em seguida o Centro de Saúde. Foi demolido em 1973.

Mercado Central - Fortaleza - Ceará



O Mercado Central ocupa um prédio de quatro pisos, ligados por escadas e passarelas. O local foi projetado especificamente para ser um mercado e reformado recentemente; em cada um dos pisos, funcionam diversas lojas, sem divisão por produtos.
Convém pesquisar todas as lojas antes de comprar. Os preços são em geral similares, mas sempre é possível pechinchar e obter um desconto (especialmente se comprar mais de um produto ou unidade). Vale a visita.

Bares no Varjota - Fortaleza - Ceará



Nesta área residencial encontram-se um verdadeiro conglomerado de bares. São tantos que já houve até disputa judicial pela lei do silêncio, mas aparentemente tudo agora já está resolvido e bem mais organizado. As opções realmente são várias para todos os gostos, preços e climas.

A Chopperia Zug é um dos bares mais conceituados da cidade. Há sempre uma excelente opção de música ao vivo variando do jazz, MPB, rock internacional até o pop. O Chopp é excelente e a comida melhor ainda. A maioria das mesas vão ficar ao ar livre sem proteção nenhuma da chuva, mas isso não diminui o movimento da casa. O cardápio é um dos mais caros da cidade então se prepare. O público é bem tranqüilo com mulheres muito bonitas todas as noites. A Zugg é um lugar perfeito para um happy hour.

Catedral Metropolitana da Sé - Fortaleza - CE



O exterior da Catedral está um pouco mal cuidado; as manchas escuras são acúmulos de umidade. Nota-se a mistura de estilos: as torres e as entradas arredondadas seguem o estilo gótico (similar à Catedral da Sé em São Paulo); a abóbada principal, entretanto, é angulada, seguindo o estilo romano.
A Catedral Metropolitana de Fortaleza, com torres de 75m de altura e capacidade para 5.000 fiéis, teve sua pedra fundamental lançada em 15 de agosto de 1939 e foi inaugurada em 22 de dezembro de 1978, pelo Cardeal-Arcebispo de Fortaleza. Construída com doações de fiéis em estilo Gótico-Romano ou Gótico-moderado, segundo projeto do arquiteto francês George Mounier tendo como referência a Catedral de Colônia na Alemanha, levou cerca de 40 anos para ser concluída. Destaca-se por sua imponência arquitetônica e pela beleza dos vitrais Substituiu a antiga Igreja da Sé, demolida em 1939, cujas primeiras construções remontam a 12 de fevereiro de 1746. (Fonte: Wikipédia e Diário do Nordeste)