17 de jul de 2010

Innsbruck - Áustria



Lugar estratégico de passagem entre os Alpes e de conexão entre o Norte e o Sul da Europa, Innsbruck foi fundada como colónia romana sob o nome de Veldidena, transformando-se numa rota de importância estratégica para o império. Os bávaros chegam ao vale do rio durante o século VI e, pouco depois, a região torna-se parte do seu ducado hereditário. Mas o imperador alemão nega-lhes o controlo desta região e entrega-o aos bispos de Brixen e aos condes de Andechs, até que, em 1363, é totalmente anexada pela Casa dos Habsburgo. Innsbruck - é a ponte (brücke) sobre o rio Inn que lhe dá o nome - torna-se capital do Tirol em 1429 e entre os séculos XV e XVI vive os seus anos de glória, ganhando importância financeira, cultural e administrativa sob a batuta do imperador Maximiliano I. Em 1665, a linha tirolesa dos Habsburgo acaba, apesar de a imperatriz Maria Teresa ter ajudado a cidade a manter o seu esplendor aristocrático. Ao passear pelas ruas do centro vai encontrar várias lojas cuja fachada exibe letreiros de ferro forjado, onde, além do nome da loja, pode ver representado o ofício do proprietário ou os artigos que se podem adquirir. Era assim que as pessoas que não sabiam ler podiam encontrar o que procuravam sem ter que entrar nos estabelecimentos. Hoje em dia, a maioria das lojas e letreiros são novos, mas a tradição se mantém.

Innsbruck - Austria


Actualmente, Innsbruck é uma cidade pequena, onde o visitante tem a sensação de estar numa aldeia no sopé dos Alpes. O centro histórico, situado na margem do rio Inn e o eixo formado pelas ruas Friederich Strasse e Maria Theresien Strasse, pode visitar-se em poucas horas ao mesmo tempo que nos permite conhecer a história da região. Caminhando desde "o telhado de ouro" em direcção ao rio encontra o castelo de Otto de Andechs-Goldener Adler, um torreão gótico edificado sobre as muralhas da cidade, em 1944, onde hoje funciona um afamado restaurante. Mesmo em frente ao torreão fica a ponte Innsbruck que dá nome à cidade. Não muito longe, pode também visitar a Dom S. Jakob, a catedral de Santiago, edificada sobre restos góticos em estilo rococó, e a "Hofkirche" ou igreja da Corte, onde sobressai o grupo escultórico dos homens negros, formado por 28 estátuas de bronze que constituíam o mausoléu de Maximiliano I, ainda que a tumba esteja vazia.

Santorini - Grécia


O nome actual (Σαντορίνη, em grego) é de origem italiano, em concreto devido aos mercaderes venecianos medievales que a chamaram Santa Irene em idioma italiano|italiano]] em honra à patroa da ilha SANTA IRENE DE TESSALÔNICA. Previamente foi chamada Kallistē ("a mais formosa"), Strongylē ("a redonda"), ou Thera. Santa Irene foi uma mártir cristã, irmã de Santa Ágape e Santa Quionia (em idioma grego|grego]] os nomes significam paz, amor e pureza, respectivamente). Diz-se que foi capturada em posse da Biblia apesar da proibição ditada por Diocleciano no 303 D.C. Foi martirizada da mesma forma que suas irmãs por não negar a fé cristã. Em algumas obras diz-se que foi queimada viva e em outras se conta que morreu ao ter a garganta atravessada por uma flecha. Santa Irene é mais venerada na Igreja Ortodoxa e em seu dia é o 5 de abril no santoral católico. Como reliquia se venera sua suposta mão em uma igreja ortodoxa grega em Astoria, Nova York. O nome da ilha grega de Santorini procede desta santa.o:Αγία Ειρήνη (μεγαλομάρτυς) em: Saint Irene. A Santa e grande mártir Irene nasceu na cidade de Magedon, na Pérsia durante o século IV. Era filha do rei pagão Licínio, e seus pais lhe deram o nome de Penélope. Já em sua juventude Irene aceitou a fé cristã, compreendendo a futilidade da vida pagã. Segundo a tradição, foi batizada pelo apóstolo São Timóteo, discípulo do apóstolo São Paulo. Desejando dedicar sua vida de forma plena ao Senhor, Irene renunciou ao casamento. Ao conhecer mais profundamente a fé cristã, procurou convencer seus pais para que se convertessem ao cristianismo. O pai de Irene começou, a princípio, a ouvir as suas palavras com benevolência, mas logo ficou indignado com ela e, quando ela se negou a adorar os ídolos, ele e jogou-a sob as patas dos cavalos selvagens. Sem tocar a mártir, os cavalos se jogaram sobre o pai de Irene e o esmagaram até a morte. Quando, por suas orações, foi trazido de volta à vida, ele, sua família e mais de 3000 pessoas aderiram à fé cristã. Depois disso, Santa Irene começou de forma determinada a profetizar sobre Jesus Cristo entre os povos da Macedônia tendo sido, por causa disso, sendo submetida a freqüentes sofrimentos e humilhações. Por ordem do governador de Sedeka, Santa Irene foi jogada em um poço com víboras. Retirada com vida, mais tarde, finalmente foi amarrada a uma roda de moinho. Os sofrimentos da santa eram acompanhados por sinais miraculosos, atraindo muitas pessoas à fé em Cristo: As víboras não tocaram Irene; as serras não marcaram seu corpo; a roda de moinho parou de girar. O próprio carrasco, Vavodón, passou a crer em Jesus Cristo e foi batizado. No total, graças à Irene, cerca de 10 mil pagãos tornaram-se cristãos. Quando o Senhor predisse a Irene em que ela morreria, foi para uma caverna no interior de uma montanha perto da cidade de Éfeso, e a seu pedido a entrada foi fechada com pedras. No 4º dia seus conhecidos retornaram à gruta e não encontraram o corpo de Irene. Todos compreenderam que ela foi levada pelo Senhor ao céu. Na antiga Bizâncio a comemoração de Santa Irene era muito reverenciada. Em Constantinopla vários e magníficos templos foram construídos em sua memória.

Thira - Santorini - Grécia


Fira (ou Thira, como dizem os gregos) é um emaranhado de ruazinhas pintadas de branco, cheias de lojas de jóias, restaurantes e artesanato na parte mais central. A primeira parada é para observar o Mar Egeu do alto e impulsivamente tirar fotos entre as centenas de cenários criados pelas casinhas brancas e igrejas com domo azul. Não existe melhor programa do que se perder nas ruelas de Fira e imaginar por que labirintos se caminha. Ora o vaivém de turistas é intenso. Em outros momentos se está só em vielas por onde só conseguem passar duas pessoas.