15 de jul de 2009

A história do soldado - Igor Stravinsky




Corria o ano de 1918. O mundo estava em guerra, a Rússia andava às cegas com a fome e com sucessivos golpes revolucionários. Aos olhos do povo, até parecia que o diabo andava à solta. E foi assim que surgiu a ideia duma opereta. Stravinsky compôs a chamada “História do Soldado”. Um militar que decide simplesmente virar as costas à guerra. O cabo pega na trouxa e no seu velho violino, e põe-se a caminho de casa,a pé. Lá pelas tantas aparece o diabo disfarçado de velhote propondo ao soldado uma troca. Tu me dás o violino e eu te dou um livro que te trará riqueza e felicidade. Bom negócio, pensa o soldado, mas como não sabe ler, pede ao diabo que o ajude a decifrar o texto. Isso demoraria 3 dias diz o diabo. O som do violino, na opereta, representa o soldado às voltas com o livro. Fazem a troca. O soldado se pôe novamente a caminho de casa. Passaram 3 anos. O diabo disse que era só 3 dias. Quando chega a casa o soldado descobre que a noiva o deixou, convencida de que ele havia morrido na guerra. A rapariga já estava casada e com filhos. Total desilusão.
O soldado volta a vagar pela estrada. Quando chega à grande cidade se depara com um desfile real. A alegria da realeza é aparente. O rei está aflito porque a princesa está deprimida e só melhora com música. O rei em desespero promete a mão da filha a quem conseguir cura-la. O soldado chama pelo diabo e propõe-lhe jogar carta e se ganhar o diabo lhe devolve o violino para que tente curar a princesa com sua música. A negociação entre os dois é representada pelo duelo musical entre um violino e um clarinete. O soldado consegue vencer o diabo na jogatina.
Ele vai até a princesa tocando uma musica alegre e tira a donzela do torpor. O diabo, escondido, aproveita para lançar um novo feitiço enquanrto dança ao ritmo do violino. A princesa desperta e agradecida se casa com o soldado. A vida parece ficar bem. A história aponta para um desfecho idílico. Mas a princesa, algum tempo depois, propôe ao soldado uma viagem. Quando atravessam uma fronteira, o diabo aparece e malandro faz o casal mergulhar num sono profundo. Ficam os dois desmaiados para sempre e o diabo a bailar celebrando o triunfo dançando diabolicamente.

O compositor descreveu os azares da rússia a partir duma alegoria, em que os sons do não representa apenas música. Pode também simbolizar uma gargalhada, ou numa guerra o diabo a cavalgar nas balas de um canhão.