11 de nov de 2011

Palácio Barolo e Palácio Salvo


Palácio Barolo - Buenos Aires. AR (à esquerda) - O arquitecto italiano Mario Palanti construiu este palácio a pedido do empresário têxtil Luis Barolo. Entre 1923, data da inauguração, e 1935 foi o edifício mais alto da cidade, tendo sido destituído do primeiro lugar quando foi construído o Edifício Kavanagh. A sua altura é equiparável à de um vigésimo quarto piso. O edifício está cheio de analogias e referências à Divina Comédia, motivadas pela admiração que o seu criador professava por Alighieri. A divisão geral do Palacio Barolo segue a estrutura da Divina Comédia, motivo pelo qual o palácio tem três partes, da mesma forma que a obra de Dante: Inferno, Purgatório e Céu. Além disso, a divisão estrutural segue toda uma correspondência exacta e o Farol representa os "Nove Coros Angelicais. A estrutura tem 100 metros, o mesmo número de cantos que tem a Divina Comédia, e 22 pisos, igual número de estrofes dos versos desta obra. Em 1997, o Palacio Barolo foi declarado Monumento Histórico [1]. Actualmente, no edifício funcionam várias agências de turismo, uma escola de espanhol para estrangeiros, uma loja que vende roupa para tango, escritórios de contabilistas, advogados.

Palácio Salvo - Montevideo. UY( à direita) - O Palácio Salvo (em Espanhol: Palacio Salvo) é um edifício em Montevideu, Uruguai, desenhado pelo arquitecto italiano Mario Palanti, um imigrante Italiano que vivia em Buenos Aires, e inaugurado no ano de 1928. Com os seus 95 metros e 27 pisos, foi a torre mais alta da América do Sul por vários anos. Localiza-se na esquina da Avenida 18 de Julio com a Plaza Independencia. Eleva-se no mesmo sítio onde anteriormente se erguia a Confeitaria La Giralda, lugar onde Gerardo Matos Rodríguez apresentou o tango uruguaio mais famoso e difundido do mundo, La Cumparsita. Em Buenos Aires, o mesmo arquitecto construiu um edifício muito semelhante mas de menor altura,o Palácio Barolo.

Palácio Salvo - Montevideo - UY



Inaugurado em 1925, o Palácio Salvo projetado pelo arquiteto italiano Mario Palanti já foi sede do governo uruguaio e por muitos anos foi o edifício mais alto da cidade. Hoje, nele estão instalados escritórios e residências, mas continua sendo um dos edifícios com a arquitetura mais marcante da cidade. De estilo ecléctico (duvidoso e criticado por muitos arquitetos da sua época) e silhueta característica, converteu-se num edifício emblemático da cidade, recordando os anos de prosperidade das primeiras décadas do século XX. Em Buenos Aires - Argentina, o mesmo arquiteto construiu outro edifício idêntico, embora de menor altura - que é o emblemático Palacio Barolo da Avenida de Maio.O arquitecto italiano Mario Palanti construiu o Palácio Barolo a pedido do empresário têxtil Luis Barolo.

Cemitério Central - Montevideo - UY



Construído em 1835 e ampliado em 1860 e 1868, o Cemitério Central foi concebido como um jardim cercado por arvoredos e túmulos no qual era normal ver pessoas caminhando, diz uma das pessoas que trabalham como guia deste peculiar itinerário. Os anjos, intermediários entre o céu e a terra, dividem espaço com símbolos maçônicos e decoração militar, em linha como as antigas Grécia e Roma. Junto aos motivos religiosos, cruzes e imagens de Jesus Cristo. Juntos às simbologias mórbidas do local há âncoras (consideradas elementos de salvação), papoulas (flores que "conduzem ao sonho eterno"), e figuras que mostram "a velhice e a passagem do tempo", como os relógios de areia.

Rambla detalhe - Montevideo -UY


A capital uruguaia lembra, e muito, o visual central da capital argentina. A Ciudad Vieja, que delimita o centro da cidade, traz os principais museus da cidade, além de ótimos cafés e restaurantes. Segura, com policiamento ostensivo, Montevidéu convida sempre a agradáveis caminhadas, mesmo de madrugada, quando as ruas estão cheias de gente voltando para casa depois dos agitos noturnos. Durante o dia, o passeio pode começar pela Plaza Independencia, que ostenta o imponente Palácio Sálvo de um lado e a Puerta della Ciudadela do outro, com uma enorme estátua do General Artigas (o herói uruguaio). A cidade é todinha rodeada por belas praias, embora cheias no verão, não são em geral adequadas para banho devido à grande quantidade de pedras que possuem mas a vista vale a pena. No final da tarde, a Rambla fica cheia de gente correndo, caminhando ou simplesmente sentada nos inúmeros banquinhos espalhados na orla.

Tesouros da arquitetura - Montevideo


Cuidado com os carros, os sinais, os pedestres mas não deixe de olhar para cima pois poderá estar perdendo muito se estiver passeando por Montevideo. Exemplares de edifícios art-noveau e art-deco, outros ecléticos e neoclássicos são predominantes na paisagem urbana. Intercalando-se com raros casos da escola modernista e recentemente da arquitetura contemporânea globalizada criam uma atmosfera nostálgica.

Maxxi - o asador do Verônica no Mercado do Porto - Montevideo



O assédio no mercado é grande e acabei escolhendo o restaurante chamado Cabana Verônica, especializado em parrila, mariscos e pescados. Os garçons atenciosos que me atenderam se chamam Raul e Gabriel. Outro de nome Walter, se não me engano, me serviu uma bebida gelada chamada meio a meio - mistura de vinho branco e espumante engarrafado - extremamente deliciosa se gelada. O Mercado nos fins de semana e feriados é muito concorrido e cheio de turistas. Uma boa dica é chegar mais tarde - depois das 14 horas - quando o movimento mais forte do almoço já estará terminando. O mercado fecha às 18 horas e os restaurantes, em sua maioria, às 17 horas. Todos recebem os brasileiros com grande simpatia e se o coração estiver receptivo você vai ter a companhia e amizade dos garçons, proprietários e daquele que vai ser o responsável pelo teu prato. O asador. Maxxi obrigado pelo capricho - Dá-le!!!!