31 de ago de 2012

La Sebatiana - Pablo Neruda - 124.736

"Eu estou cansado de Santiago. Eu quero encontrar em Valparaíso uma pequena casa para viver e escrever calmamente. Ela deve ter algumas condições. Ela não pode estar localizada nem na parte alta e nem na parte baixa. Deve ser solitária, mas não em excesso. Com invisíveis vizinhos espero. Eles não devem ser vistos ou ouvidos. Original, mas não desconfortável. Com muitas janelas, mas forte. Nem muito grande ou muito pequena. Longe de tudo, mas perto do transporte. Independente, mas próximo ao comércio. Além disso, tem de ser muito barata. Você acha que eu iria encontrar uma casa como aquela em Valparaiso?Este foi o pedido de Pablo Neruda, em 1959 à seus amigos Sara e Martner Marie. Parece impossível encontrar uma casa que satisfisezze os desejos do poeta, mas depois de uma pesquisa longa, eles encontraram o desenho de uma mansão localizada na Colina Florida. Foi construído pelo espanhol Sebastian Collao, que idealizou o terceiro andar inteiro do prédio como uma gaiola de pássaro. Dom Sebastião morreu em 1949 e a casa inacabada e cheio de escadas ficou abandonada por muitos anos.O poeta foi conhecer o edifício. Gostava de, entre outras coisas, a maneira simples como foi construído, mas achou muito grande. Assim a casa foi negociada por Neruda, Marie Martner e seu marido, e o Dr. Francisco Velasco. Marie Martner e seu marido utilizavam a parte inferior e o quintal enquanto Neruda ficou com a posse dos terceiro e quarto andares e da torre. "Eu - ele costuma dizer brincando - comprei apenas escadas e os terraços ". A verdade é que ele tinha uma vista privilegiada sobre a baía.O poeta levou três anos para concluir a construção e o design dos interiores da casa. Ele a decorou com fotos antigas do porto e um grande retrato de Walt Whitman. Um dos trabalhadores que cuidavam na construção uma vez lhe perguntou se a pessoa do retrato era seu pai. "Sim, na poesia" - respondeu Neruda.Algumas das janelas da casa foram feitas como clarabóias de navios. A maior terraço foi convertido em uma sala de jantar. De lá, ele podia ouvir as bandas retumbantes dos filmes no Teather Mauri, localizado próximo da casa. Dr. Velasco lembrou-se do tempo em que Neruda desceu para recomendar-lhes um filme dessa forma:: "A julgar pelo tempo da película o filme parece ser bom".A casa foi inaugurada com uma festa memorável em 18 de setembro em 1961. Somente participaram da inauguração as pessoas que tinham realizado algum feito memorável e que de alguma forma tinha contribuido para transformar a casa abandonada em "A Sebastiana", como Neruda a chamou em homenagem ao seu contrutor e proprietário.
Logo depois Neruda escreveu o poema "La Sebastiana", que mais tarde foi incluído no livro "Full Empowerment". Na parte inicial do poema diz: eu estabelecer a casa / eu fiz isso primeiro de ar / então eu levantei a bandeira no ar / e eu deixei ele enforcado / para o ar livre, a partir da estrela, de luz / e. da escuridão ... "Um dia Neruda levou seus convidados, em turnos, até o alto da torre da casa de onde se via todo o porto através de um telescópio.  Depois de mirarem o porto Neruda direcionava o telescópio para a cobertura de uma casa onde, dizia ele, uma mulher tomava sol nua para se bronzear. Nunca ninguém viu a mulher mas também também não desmentiram. Talvez, só mesmo o "poeta" para poder vê-la.