23 de abr de 2012

Trem Turístico - Campinas/Jaguariuna SP



Um dos únicos trajetos com trens de passageiros, ainda existentes no Brasil, está de região de Campinas. Entre essa cidade e a vizinha Jaguariúna o turista/passageito terá o prazer de conhecer um pouco da história desse transporte e de suas máquinas, que na maioria foram fabricadas nos Estados Unidos e Inglaterra. O trajeto de Campinas a Jaguariúna, em São Paulo, é feito em um trem a vapor do século XIX. O passeio turístico de Maria-Fumaça percorre 24,5 km de extensão partindo da Estação Anhumas, em Campinas, onde existe também o "Museu Dinâmico Viação Férrea Campinas - Jaguariúna". Outra excelente opção de lazer cultural. O trem passa pelas estações de Pedro Américo, Tanquinho, Desembargador Furtado, Carlos Gomes - todas construídas em meados de 1920 - até chegar em Jaguariúna. O viagem tem duração média de 3h30min, entre ida e volta, passando por cenários inesquecíveis para aqueles que apreciam a história e a natureza. Além da paisagem, os passageiros também poderão se deliciar com fatos pitorescos contados pelo guia turístico desta antiga ferrovia, por onde escoava a produção de café até o fim do século XIX e que foi restaurada recentemente.

http://www.mariafumacacampinas.com.br

20 de abr de 2012

Junta Departamental de Montevidéo - UY


A Junta Departamental de Montevidéo fica situada na interseção das ruas 25 de maio e Juan Carlos Gómez. Na infra-estrutura se salienta o edifício que funcionava como sede da Reunião Econômico-administrativa, conhecida como "Casa de Francisco Gómez." Francisco Antônio Gómez, igual ao pai dele, foi dedicado aos negócios e fez fortuna na atividade comercial e industrial. Em meados do século de XIX adquiriu a propriedade localizada na 25 de maio, atual Calle Juan Carlos Gomes. A atual construção foi recomendada ao adquirente e ficou a cargo do arquiteto Ignacio Pedralbes precursor do ecletismo no Uruguai). Os trabalhos foram desenvolvidos entre os anos 1871 e 1874. A casa de Alfredo Castellano Gómez constitui um exemplo típico do ecletismo que inspirou o montevideana de arquitetura antes dos últimos trinta anos do século de XX quando vários edifícios dos estilos mais variados foi construído.

15 de abr de 2012

Parque Nacional Vila Velha - Ponta Grossa - PR - Brasil



As formações areníticas do parque podem ser observadas a partir da estrada. Há dois passeios: pelos arenitos, rochas formadas ao longo de milhares de anos; e pela trilha que leva a três furnas, lagos de lençol freático similares a crateras inundadas. De dez em dez minutos, ônibus partem do receptivo e levam aos dois roteiros, com cerca de 1h30 cada.

12 de abr de 2012

Palácio Salvo - Montevideo - UY (100.000 visitas - 13.04.2012)



O palácio Salvo é um edifício desenhado pelo arquiteto italiano Mario Palanti, imigrante que vivia em Buenos Aires, e inaugurado no ano de 1925. Com os seus 95 metros e 27 pisos, foi a torre mais alta da América do Sul por largos anos. Está localizado na esquina da Avenida 18 de Julio com a Plaza Independência no centro de Montevideo. Eleva-se no mesmo lugar onde anteriormente se erguia a Confeitaria La Giralda, lugar onde Gerardo Matos Rodríguez apresentou o tango uruguaio mais famoso e difundido do mundo, La Cumparsita.

Parque RODÓ - Montevideo - UY





Nos 43 hectares do parque criado em 1896, o mais popular de Montevidéu, se desenrolam várias atividades: crianças rodopiam no antigo parque de diversões, casais que namoram sob a estátua de Confúcio observando o Rio da Prata, concursos de Carnaval realizados em fevereiro no Teatro de Verano até mostras vanguardistas no Museu Nacional de Artes Visuais. À beira de um lago artificial, o parque ainda abriga sua biblioteca infantil, hospedada em uma construção na forma de castelo. Parque Rodó - Rambla Presidente Wilson. O visitante ainda pode apreciar o monumento a José Enrique Rodó e a obra "Nuevos Rumbos", que são grandes exemplos do trabalho do mais famoso escultor uruguaio, José Belloni.



4 de abr de 2012

Costa Amalfitana - It


Num trecho de 60 km do litoral da Campânia, entre Sorrento e Salerno, servido de estrada costeira como uma passarela estreitíssima, esculpida em boa parte no precipício, fica a denominada Costa Amalfitana. Ao longo da estrada, entre uma vista vertiginosa e outra, encontram-se cidades históricas como Amalfi (à beira do mar Tirreno) e Ravello (no alto da montanha). Um belo vilarejo que escorrega pela encosta até a praia ali se localiza: Positano. Muitos preferem Ravello mas... Em Ravello a paisagem muda em minutos. Você sai da praia e vai para montanha. A paisagem da pequena viagem entre Amalfi e Ravello é indescritível, dessas de ficar com a boca aberta, considerada uma das mais bonitas da Costa Amalfitana.



1 de abr de 2012

Antiquários pelas ruas em Taormina -It



Encravada na encosta do Monte Tauro, a 200 metros do nível do mar, na província de Messina, Taormina mistura igrejinhas, casinhas coloridas e floridas, antiquários, butiques, lojas de arte, cafés, restaurantes charmosos, praias próximas e história. É più bella. Fundada em 358 a.C., foi colonizada por gregos, romanos, bizantinos e árabes. Dos primeiros, ela ostenta o Teatro Grego, do século 3 a.C., cartão-postal da cidade e usado até hoje para óperas e shows, com capacidade para 5 mil pessoas. O problema é que assistir a um espetáculo ali é lutar contra a tentação de ficar admirando só a paisagem. Taormina é simples e pode ser percorrida em um dia. Basta caminhar 20 minutos, em passos rápidos, pela Corso Humberto I, a via pulsante do centro antigo. Mas esqueça a pressa. Taormina é para ser sorvida em pequenas doses. Por isso, deixe-se envolver pelo clima que inspirou escritores e artistas como D.H. Lawrence, Goethe, Nietzsche, Oscar Wilde, Coppola, Fellini e Liz Taylor e embrenhe-se pelas escadinhas que saem da rua. Vai encontrar cantinas com música italiana ao vivo, lojinhas de arte e até o Parque Duca di Cesaro, na Villa Comunale, criado no fim do século 19 por lady Florence Trevelyn, uma observadora de pássaros. Pano de fundo para as melhores fotos em Taormina, o Etna está sempre no campo visual a 59 quilômetros, que é irresistível não dar um pulinho até o vulcão mais alto e mais ativo da Europa. São 45 minutos de carro. A sensação é de subir até ele e de ter feito uma viagem espacial: é como pisar na Lua. Nos locais de atividade mais recentes, não há nada a não ser massa negra, que se despedaça em pó fino à medida em que é pisada. O ponto mais alto do Etna tem 3.350 metros porisso sempre muito frio - no inverno é possível esquiar nessa área. A visita ao cume ativo é feita com guias de guias e autorização do Parque Nacional. O Étna tem cerca de 700 cones secundários. O ponto de partida fica a 1.900 metros, num complexo ao sul do Monte, onde está a Cratera Silvestri, inativa. Dali é possível avançar mais 600 metros sobre o vulcão de teleférico ou subir a pé num percurso de duas horas, enfrentando um vento fortíssimo. A 2.500 metros só há rocha e pó. Ônibus e jipes levam a 2.920 metros de onde se pode mirar a Torre do Filósofo. A esta altura somente o negro do magma e o branco das nuvens que se movimentam a grande velocidade. O cenario muda em segundos e leva a introspecção. Impossíivel não pensar na grandeza do universo e na pequenez do ser humano.