23 de jun de 2010

Gaivotas em desfile - Barra da Lagoa - Florianópolis SC


As gaivotas interrompem seu sono para dar uma espiada nos arredores com maior frequência quando as outras gaivotas estão alertas do que quando as demais estão dormindo ou limpando as penas. A descoberta, publicada em “Biology Letters”, defende a ideia de que a vigilância não é uma busca solitária, e que as gaivotas monitoram e copiam o estado de alerta dos pássaros vizinhos. Isso as ajuda a permanecer sensíveis ao risco de predadores e assegura que não serão deixadas para trás no caso de algum ataque. Em grupos de até 100 pássaros nos chamados locais de descanso, onde os pássaros ficam de pé para observar o território, limpam-se ou dormem. Mas, mesmo dormindo, as gaivotas ocasionalmente abrem seus olhos. Após controlar por tamanho de grupo e densidade, descobriu-se que no mesmo grupo, gaivotas com vizinhos alertas passavam cerca de 20% a menos de tempo dormindo do que aquelas com vizinhos menos alertas. Pesquisas recentes, sobre pássaros e outros animais, mostram que nas estratégias para buscar alimento e procriar, indivíduos reúnem informações de decisões tomadas por outros membros do grupo e tomam suas próprias decisões com base nessas informações. As descobertas sugerem que o mesmo ocorre com a vigilância – um pássaro aprende, olhando seus vizinhos, quão alerta ele precisa estar.

Nenhum comentário: